JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.

No DF, Paciente com esquizofrenia e dependência de drogas será internado compulsoriamente

Problemas com Álcool ou Drogas? Podemos ajudar!
(61) 3547-3198 / (61) 98669-8646
compulsoria

O Distrito Federal foi condenado a internar compulsoriamente um paciente diagnosticado com esquizofrenia e quadro de dependência em álcool e drogas.

O pedido foi feito pelo pai do réu.

A decisão, inicialmente concedida em sede de liminar, foi confirmada pelo juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública de Brasília.

Internamento compulsório

O autor narra que o filho recebeu o diagnóstico da doença aos 16 anos, tem histórico de uso de substâncias entorpecentes e não adere ao tratamento proposto pelo CAPS.

Além disso, teve progressão e agravamento do quadro psiquiátrico, com comportamentos violentos, delírios e alucinações.

Afirma que há orientação médica para internação involuntária do filho, uma vez que o paciente representa risco para sua própria saúde e de terceiros, mas a família não possui recursos financeiros para arcar com os custos do tratamento na rede particular.

Falta de previsão orçamentária

Segundo o julgador, a Lei Orgânica do DF também garante o acesso aos serviços necessários à recuperação da saúde, assegurado mediante políticas sociais, econômicas e ambientais.

Cintra IT - Seu site profissional responsivo! Ligue (61) 98416-7091

De acordo com o juiz, a falta de previsão orçamentária e o princípio da reserva do possível não podem ser obstáculos à efetivação do direito à saúde, pois este integra o mínimo vital do indivíduo, que o Estado deve assegurar.

Na análise do caso, o magistrado ponderou ainda a importância de se avaliar se foram preenchidos os requisitos legais para a internação compulsória do paciente, uma vez que a medida implica em restrição ao seu direito à liberdade.

No caso dos autos, relatório médico comprova tanto a insuficiência dos recursos extra hospitalares, como a necessidade da internação compulsória.

Sendo assim, o magistrado acatou o pedido formulado pelo pai e representante do paciente e determinou que o Distrito Federal interne o rapaz, em clínica especializada no tratamento psiquiátrico e de dependência química, seguindo a prescrição médica e em atendimento à Lei 10.216/01.

Caso não existam vagas ou estabelecimento da rede pública de saúde que atenda às necessidades do paciente, o DF deverá interná-lo em estabelecimento particular, custeado pelo Poder Público.

A cada quatro meses, contados da data da internação, deve ser realizada uma avaliação para verificar a necessidade de manutenção do tratamento.

Fonte: TJDFT

Cintra IT - Tudo para sua empresa ou negócio viver bem na web.

Veja mais

Preferências de Privacidade
Quando você visita nosso site, ele pode armazenar informações através do navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui você pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar sua experiência em nosso site e nos serviços que oferecemos.